7.31.2017

Podia ter-me dado para pior! #198 especial ALGARVE

Afinal parece que ainda vos trago mais um look destas férias...! As fotos não têm a melhor qualidade porque - e como vão perceber pelas fotos - é um look absolutamente descontraído. E fomos mesmo para relaxar e aproveitar um bocadinho da excelente noite de verão que estava. Sem câmaras, sem grandes produções, sem make up nem nada que se pareça (apesar de ser sempre assim nas minhas férias!).

Férias que são férias são ao natural... já chega de produção o ano inteiro, para o trabalho e para tudo o mais.





Vestido: BERSHKA | Sandálias: TAPADAS | Bolsa: PARFOIS | Relógio: MICHAEL KORS | Fita cabelo: PHAX

7.30.2017

Podia ter-me dado para pior! #197 especial ALGARVE

E porque o que é bom acaba depressa... este será o último look destas férias a ser publicado aqui no blog. Mas acabamos em bom! :) 




Um dos meus looks preferidos destas férias (e sim, o mais pinky possivel! Como eu adoro!) 🎀 

Body: ZARA | Vestido: barraquinhas de artesanato por aqui (e presente do meu amor!) | Sandálias: PRIMARK | Mala: STELLA RITTWAGEN

7.27.2017

Os primeiros dois livros destas férias



Trouxe três comigo, e curiosamente os três foram presentes de aniversário. E em resultado do meu escasso tempo desde então, ficaram reservados para as férias. A minha média, nos quinze dias de férias costuma ser cerca de quatro livros. Os primeiros dias aproveito para descansar ao máximo e não pensar em absolutamente nada. (Para além de me bronzear) aí ao fim de uns cinco dias começo a sentir falta dos livros, das histórias, das personagens... e o bichinho ganha proporções gigantes. 

Engraçado é que o facebook me relembrou hoje, que o ano passado neste mesmo dia ia eu também para o terceiro livro das férias... coincidências giras!

Venho falar-vos muito por alto, e recomendar-vos os dois que já li. 

Comecei pela Kate Alcott (uma estreia para mim) com o seu livro Os sonhos que tecemos. Não devemos julgar um livro pela capa, mas com este título dá logo vontade de ler não é verdade? Assim foi. Gostei muito do livro, pois o mesmo retrata uma época em que as mulheres estavam absolutamente em segundo plano, mas é o momento em que estas começam a ter consciência da força que têm, das suas inúmeras qualidades e aptidões, e de que são indispensáveis à sociedade. É aqui que se dá a sua emancipação. Obviamente retrata aqui uma parca história de amor, mas apesar de tudo indicar o contrato, isso é o menos importante no livro e o menos retratado. Este é baseado numa história verídica de 1833, num momento de viragem na história dos EUA, que nos demonstra isso mesmo e essencialmente a força da amizade e dos nossos valores. 
Tem partes em que a história não avança muito - ou melhor dizendo, demora muito a avançar - daí não ser "o melhor livro do ano". Mas é bom. Gostei verdadeiramente de o ler, e adoro estas épocas, e todos os valores que lhes (eram) são intrínsecos (e que hoje em dia já são tão escassos). 


Alice Barrow desafia todas as convenções ao abandonar o mundo rural e tacanho onde nasceu. Numa época em que as mulheres são cidadãs de segunda categoria, o seu emprego na fiação da família Fiske é um passo importante rumo à emancipação. As "meninas da fiação" trabalham longas horas em condições precárias mas a alegria que as une é completamente nova para ela. Um dia, até dá por si a cometer a "extravagância" de celebrar o seu primeiro salário com a compra de um chapéu. É apenas um objeto mas vai ganhar a força de um talismã.
Inadvertidamente, Alice capta a atenção de Samuel Fiske, filho do dono da fábrica. Samuel é um enigma. Frio e impenetrável, tem o condão de contrariar frequentemente a própria família. O seu fascínio por Alice é a derradeira afronta aos pais e à ordem social. Será amor ou mero capricho?
O teste aos seus sentimentos será abrupto. Quando uma jovem muito especial aparece morta, toda a hierarquia de poder é posta em causa. O que se segue é um eco da luta ancestral entre ricos e pobres, poderosos e oprimidos. Apenas os mais determinados conseguirão vingar. Apenas um amor verdadeiro poderá sobreviver.





O segundo livro, é da minha Nora Roberts, e acabadinho de chegar às livrarias! Caminhos do amor. Estava eu felizmente à procura de um livro na Bertrand de portimão, quando inocentemente olho para a prateleira dos destaques e vejo NORA ROBERTS ( não têm noção da quantidade de vezes que isto me acontece e do TÃO BOM que é!!!) com o coração aos saltos e a transbordar de felicidade ainda nem tinha lido o resumo do livro e já sabia que ele  viria comigo para casa. 

Não só é absolutamente delicioso, como é uma nova TRILOGIA, IRLANDESA ainda por cima. ❤️❤️❤️ Desta feita, de três primos. Envolve magia, antepassados, cavalos, uma Irlanda verdejante, amor, confiança e verdadeira amizade (daquela que podemos confiar de olhos fechados, como se de uma verdadeira família se tratasse). Já chega para vocês? 

Vale tão, tão a pena. 


Sinopse


1.º volume da trilogia “Primos O’Dwyer” 

Iona Sheehan sempre ansiou por devoção e aceitação dos pais, mas foi só na terra da avó que recebeu os dois: Irlanda, país de florestas exuberantes, lagos deslumbrantes e lendas centenárias, onde o sangue e a magia dos antepassados fluem há gerações.

Iona chega à Irlanda apenas com as indicações da avó, uma atitude otimista perante a vida e um talento inato com cavalos. Perto do castelo luxuoso onde está hospedada, encontra os seus primos, Branna e Connor O’Dwyer. E como família é família, eles convidam-na para a sua casa e para as suas vidas.

Quando Iona arranja emprego nos estábulos locais e conhece o dono, Boyle McGrath, todas as suas fantasias se reúnem num só homem. Será que com ele vai conseguir viver a vida com que sempre sonhou? Infelizmente nada é o que parece. Um mal antigo espalhou-se na sua família e tem de ser combatido. E quando família e amigos lutam entre si, será possível encontrar os caminhos do amor?

7.24.2017

Podia ter-me dado para pior! #196 especial ALGARVE

A sétima noite em Portimão num dos meus sítios preferidos por cá (não a Marina), mas sim no NoSolo Aqua. As noites quentes voltaram (e que bem que nos soube!).






Look total: ZARA | Relógio: D&G

7.23.2017

E 7 dias já lá vão

Sem darmos por eles. O que é bom sinal, porque significa que estão a ser bem passados. 

A nossa casa é como o nosso coração. É um entrar e sair dos nossos. Uns chegam outros vão. Todos deixam saudades. Todos fazem dos momentos únicos e indescritíveis. Todos fazem falta. Mas acima de tudo, todos nos fazem felizes ❤️

Obrigada.






Já tinham saudades do Mingo não era? :)

Fato de banho: Springfield 

7.22.2017

Podia ter-me dado para pior! #195 especial ALGARVE








Calções, Túnica e Body: ZARA | Sandálias: DAILY CRISTINA | Relógio: D&G 

Vou contar-vos a história do Mingo

Quando começou esta moda das bóias em formato de flamingo, unicórnio, melancia e por aí fora, eu avistei umas giríssimas na Primark. Mas - e como sempre - do alto da minha indecisão, vai que optei por não gastar 12€ porque dentro da minha razoabilidade, ainda estávamos em Março. (Ninguém compra bóias em Março, certo?) 

Obviamente quando fui para comprar (em Julho), elas já não estavam à minha espera.

História da minha vida (e das minhas inúmeras indecisões). 

Adiante, entretanto vi várias na net, e em outros sítios mas rondavam sempre os 70€ e... coragem! 

Tal não é a minha felicidade quando as encontro em Portimão... a minha bóia fofinha-fofinha que só ela!! 

Foi o histerismo. A felicidade. A exploooosão (também se lembraram da música não foi?) de alegria. 

Só haviam duas ou três cor-de-rosa, e as restantes eram todas brancas. 

OBVIAMENTE trouxe o meu flamingo cor-de-rosa para casa! 

Como já é habitual (e é aqui que a história tem o seu drama), apelido sempre carinhosamente as minhas coisas. Assim, lembrei-me de lhe chamar carinhosamente de Mingo! (Que vem de flamingo como vocês tão fácil e inteligentemente chegaram lá). 

Qual não é a minha tristeza - que achava que o meu Mingo era exclusivo - quando o meu primo mais novo me mostra que existem MILHARES de mingo's carinhosamente assim apelidados pelas suas donas de tôdó mundó!!! 

Bastam colocarem o hashtag #Mingo e vão confirmar este triste facto.

Podem achar que não é assim tão dramático, mas eu fiquei mesmo muito triste.

É que podiam chamar-lhe tanta coisa... (ou na loucura: nem sequer lhe chamarem nada porque, sei lá, é uma BÓIA) mas não, tinha de ser Mingo. Mingo's everywereeee!

Mas pronto, era isto. 

Apesar de tudo, o meu Mingo vai ser sempre o mais lindo da praia. Até porque é o único (até agora!). ❤️

(E sim. Esta foi mesmo a história de uma bóia. Uma bóia que se chama Mingo.)

#prayforMingo
#Mingo
#Mingosdetôdómundójuntaivos









Fato de banho: Women's secret

7.21.2017

Podia ter-me dado para pior! #194 especial ALGARVE

Eu sei, eu sei... EU SEI!!! Juro que desde que esta moda saiu às ruas que eu proferi algo como: "SE ALGUM DIA ME VIREM COM UMA COISA DESTAS TÊM DESDE JÁ AUTORIZAÇÃO PARA ME BATER!! OUVIRAM BEM??" O que é que aconteceu? Exacto. Primeiro estranha-se, depois entranha-se. Primeiro só via aberrações desta espécie de "chinelos". Depois comecei a achar alguns giros (e outros demasiado fofinhos). Primeiro passo para o precipício. 

A muito custo, lá caí eu na tentação. Porque eram COR-DE-ROSA. Porque custavam 6€. E sim, porque estou de FÉRIAS. 

Sabem que mais? Who cares? Não dão para o meu dia-a-dia, mas são giros, são fofinhos, e mega confortáveis! Gostei. 





Body: STRADIVARIUS | Calções: CHANGE | Chinelos: PRIMARK | Mala: STELLA RITTWAGEN

Está tranquilo, está favorável.

O quarto dia de praia. Dias quentes, água morna. As nossas pessoas. A nossa praia. Noites frias. 




Leve. ❤️🌊🐚

Biquini: Luli Fama Miami

7.20.2017

Podia ter-me dado para pior! #193 especial ALGARVE







 T-shirt e Saia: ZARA | Sandálias: RUIKA | Relógio: MICHAEL KORS

My little paradise

O terceiro dia no meu pequeno paraíso. 




Calmaria feliz. ❤️

Biquini: PHAX

7.19.2017

Em casa ❤️

O segundo dia de praia. Na minha praia. Since 1991.




Biquini: Luli Fama Miami


7.17.2017

Podia ter-me dado para pior! #192 especial ALGARVE

Branca mais braaaaaanca não há. Mas dêem-me um desconto, não é verdade? FIRST DAY!(dêem-me mais dois ou três dias e logo conversamos...*riso maléfico*!)

Chegámos mais tarde, mas chegámos (e bem!) que é o mais importante. Este ano ainda mais de coração cheio, pois para além de ser uma das três épocas no ano que mais anseio e mais adoro, este ano voltámos ao que éramos e conseguimos vir todos juntos. Nada paga esta confusão de risos e vozes. É muito amor, muita cumplicidade. São anos de memórias. E revive-las mais um ano (quando os anos começam a ficar mais curtos), é de um valor incalculável. É a isto que chamo família. São estes que amo até à exaustão. E são momentos destes que alimentam a eterna criança feliz que há dentro de mim. <3

Apesar de odiar todas as fotos enquanto ainda estou neste tom lula-translúcido - coragem! - trago-vos o primeiro look destas férias. As sandálias são sem sombra de dúvidas o meu crus deste verão!









Calções: ZARA | Top: Pull & Bear | Sandálias: DAILY CRISTINA | Relógio: D&G | Brincos: MISSANGA LOVE | Mala: STELLA RITTWAGEN